15.5.09

Crianças adiantadas na escola - parte 2


Precisamos ficar atentos. A mudança de 8 para 9 anos escolares está causando certa confusão e muita ansiedade entre os pais. Para entender, precisamos recapitular:

Como era: educação infantil (até 5 anos), pré-primário (6 anos) e fundamental (a partir dos 7 anos).

Como ficou: o pré-primário virou 1º ano. As crianças agora entram no fundamental com 6 anos.

Mudou muita coisa? Não deveria. Supostamente, o conteúdo do novo primeiro ano deveria ser o do pré-primário. Afinal, a nomenclatura mudou, mas o amadurecimento neurológico e emocional das crianças, não. Então, porque tanta confusão?

Porque agora, os pais entendem que as crianças que estão no último ano da educação infantil, devem receber o conteúdo do pré-primário. Isto é, eles esperam que a escola inicie o processo de alfabetização e de contagem de números, para que eles não fiquem "atrasados" no fundamental. O problema é que estas crianças estão com apenas 5 anos (muitas vezes 4). Elas são ainda imaturas para tal conteúdo.

Essa expectativa (e a confusão da nova nomenclatura) tem levado muitos educadores e escolas a adiantar os conteúdos, gerando todos os problemas citados no texto anterior (clique aqui para ler).

Então, o que devemos fazer?

1. Entender que o novo primeiro ano, nada mais é do que o pré-primário. Nenhuma criança precisa estar alfabetizada ou fazendo cálculos matemáticos para frequentá-lo ou para "acompanhá-lo". Também não devemos ter a expectativa de que nossos filhos concluam este ano lendo, escrevendo e contando. Muito pelo contrário. Neste ano deve ser feita uma aproximação maior da criança com o universo da escrita, da leitura, dos cálculos (e muitos outros universos!). Mas de forma lúdica, brincalhona e sem haver a cobrança de que ela termine o ano dominando tais conteúdos. Hoje em dia, muitas crianças concluem este ano lendo e escrevendo, mas isso não é um requisito. Se o seu filhote ainda não chegou lá, acalme-se. ELE É NORMAL! E perfeitamente apto para ir para o segundo ano.

2. Entender que é apenas no 2º ano (aos 7 anos) que começa oficialmente o processo de aprendizado dos conteúdos do ensino fundamental. E seu filhote terá um ano todo para consolidar tais aprendizados (e mais o 3º ano que é quando se encerra este ciclo). Sem pressa, nem correria. Sei que algumas escolas estão exigindo que as crianças estejam totalmente alfabetizadas (alfabéticas, no educacionês) para entrar nessa série. E oferecem reforço para as que não chegaram lá. Algumas até exigem que as crianças estejam escrevendo com letra cursiva para entrar no segundo ano. E dá-lhe caligrafia quando existe tanta, mas tanta coisa mais importante para eles estarem descobrindo! Diante de tudo isso, ficamos mesmos perdidos, sem saber se a escola que não exige nada disso é fraca ou se nosso filho, que não acompanha essas exigências, tem problema.

Nem um nem outro. Seu filho é absolutamente normal e terá 9 anos para receber todo o conteúdo do fundamental. As escolas que se mantém firmes em respeitar as etapas naturais do desenvolvimento infantil são ótimas escolas. E você, que escolheu respeitar o amadurecimento do seu filho, não é relapso, nem superprotetor. É atento e lúcido.

15 comentários:

Hegli disse...

PERFEITO!
Já imprimi uma cópia para a coordenora da escola do meu filho!
Parabéns Taís, pela sensibilidade, pela objetividade e pelo serviço prestado as mães de plantão preocupadas em respeitar o desenvolvimento neurológico de seus filhotes.
Bjus

Paula ZZT disse...

Clap, clap, clap.
Taís vc tá arrasando com esses posts.
Sabe que tudo isso é culpa nossa da classe média, que queremos filhos gênios que ganham muito dinheiro (pq no final é só para isso...). E que começamos a colocar em escolinhas que estavam alfabetizando no pré... Todo mundo quer antecipar tudo...
Uma pena.
Bjoks
Paula
PS: talvez fosse bom se todos nascessemos velhos mesmo... Assim aprenderíamos a nos divertir.

Paula ZZT disse...

Ah, posso imprimir os 2 posts para colocar no mural da escolinha do meu filho?
Bjoks
Paula

Renata disse...

Taís, isso é uma doença do nosso tempo: ansiedade. Pobres dessas crianças, que precisam tanto de brincar...nessas horas fico feliz por poder proporcionar pra minha filha uma escola onde ela possa brincar muito.
Mas tenho que admitir que entendo um pouco a ansiedade, pois ultimamente ando assim...não vendo a hora da da Pipoca aprender a pular corda! Sério.
Essa é, aliás, uma das atividades dela na escola. Aos 3 anos é um desafio e tanto, concorda?
beijo!
Re

Silvia disse...

Tais, gostei dessa de pôr texto em mural de escola... Será que a gente leva também? Ou manda pela agenda? ;-)

Tá ótimo, como sempre. Ô talento, viu? Quando sai um livro?

Taís Vinha disse...

Ansiedade...nem me fale! Rôo as unhas até hoje, juro!

Pode colocar no mural, sim. Acho que os pais mais tranqüilos precisam se manifestar mais.
Temos que mostrar a cara e deixar claro nas escolas que tem pais que pensam diferente. Que não querem que alfabetize cedo, que querem ver criança um tempão no parque, brincando, correndo, fantasiando, pulando corda, amassando argila.

Os pais ansiosos são muito barulhentos e enquanto a gente ficar assistindo sem se manifestar eles vão tomar conta mesmo.

Bom final de semana, sem pensar em escola por uns dias (menos eu e a Silvia que temos reunião.)

Bjs!

Hegli disse...

Eu tb tenho reunião na escola amanhã, sabadão, ás 8h30... ninguém merece...hahaha

Paula disse...

Parabéns Taís mais para falar a verdade a estou começando a ficar cansada desse assunto rsss, eta negocio dificil de lidar, será q estamos fazendo demais ou de menos é assim q criamos ulceras, caspas, sindrome de colon irritavel, todas essa "doenças do emocional" como disse Cassia Kiss "ser mãe as vezes é uma meleca..."
e vamos na reunião discutir mais um pouquinho
beijão Flor

Taís Vinha disse...

Paula, acho que depois da reunião a gente bem que merecia tomar uma cerveja. E falar de homem. Hahahahahahaha.

Clarice disse...

O titulo me assustou porque mesmo nesta semana andei lembrando que fui obrigada a repetir série porque não tinha idade para a próxima. Pode?

Quem manda ser do tempo em que precisava de exame de admissão para entrar na 5ª série(naqueles tempos era ano e não série) e eu terminei a 4ª com 8 anos. Faria 9 em janeiro. Mesmo assim perdi um ano por conta de mentes tacanhas.

Ah, os absurdos da formação escolar que chamam de educação!

Vou esperar os netos e perder mais alguns cabelos.
Boa sorte!
Bom final de semana e abraço.

Anônimo disse...

Tais, concordo em gênero, número e grau, quando vc diz que não devemos pular as fases dos nossos pimpolhos. Também não quero isso para a minha filhota. Aliás... a palavra de ordem aqui em casa é: respeito!!!! Minha filha tem 5 anos e estuda em uma escola onde tudo o que vc preza é seguido. Mas alguns amiguinhos dela, que estudam em outras escolas, aqui em SJC e em SP, com mesma idade,já estão alfabetizados e muitas vezes a discriminam em algumas brincadeiras. Minha filha fica arrasada e fica me questionando o por que que os amigos sabem ler, escrever e conseguem bricar e ela não.O que eu digo à ela é que que tudo nessa vida tem seu momento certo, mas confesso que a dúvida entre: o respeitar este tempo e dar o estímulo ficam em minha mente. O que vc espera para os seus filhos numa sociedade cada vez mais predatória???
Um abraço.

Anônimo disse...

Retificando pergunta anterior.
Na verdade o que quero saber é:
Como preparar nossos filhos para uma sociedade predatória?
Um abraço.

Renata Rainho disse...

Anônima eu já fui discriminada na escola pois meus dentes foram os últimos a cair da classe!

Taís Vinha disse...

Anônima, mil perdões pela demora em responder, mas tô de cama, com uma gripe medonha. Eu também tô tentando entender como criar filhos neste mundo. Acho que um do objetivos deste blog foi tentar por pra fora estes fantasmas. Mas no fundo sou uma otimista. Acho que o mundo está aos poucos melhorando. Já houve um tempo em que não estaríamos criando nossos filhos. Ou não poderíamos educar as meninas. Ou definiríamos seus futuros ainda no berço. Enfim, hoje temos mais liberdade, e acho que o grande desafio é ensinar nossos filhos a viver com isso. "Você pode beber, mas se beber não dirija." "Você pode fazer sexo, mas use camisinha (e espere até os 25 anos para começar, hahahaha)."

Quanto a sua dúvida, de respeitar o tempo ou dar o estímulo, acho que ambos, não? Estimular dentro do tempo da criança é fundamental. O que discutimos aqui é apressar as coisas, isto é, levá-las a fazer algo que ainda não é necessário na vidinha deles. As pessoas não entendem que para escrever, ler e contar não é necessário apenas aprender a juntar letras, palavras e números. É preciso abstrair, imaginar, interpretar, concentrar, enfim, uma porção de outras competências que só serão desenvolvidas se o foco da educação infantil não for ensinar a decorar o alfabeto. Garanta este período a ela e logo, logo, sua filhota vai surpreendê-la com a qualidade do seu aprendizado. E mais, você a estará ensinando que ela não precisa ser igual aos outros. Acho que isso também responde sua outra pergunta, não? A sociedade pode ser predatória, mas a gente não precisa sucumbir. E sua filhinha aos 5 anos já está aprendendo isso. Bjs!

Anônimo disse...

Tais, não precisa se desculpar pela demora, aliás p/ mim foi ótimo ficar esse tempo esperando seu parecer e reletindo sobre o assunto.Na verdade :" Eu é que estou sofrendo de preocupação precoce". Criança realmente tem que ser criança!!!! Tudo na sua hora!!! Melhoras à você. Um abraço.
A Anonima.