25.5.09

Reflexões para a semana começar bem.


Uma cidade alemã que baniu o automóvel. O fim da infância. E cabelos brancos: assumir ou não assumir? Três assuntos nada a ver, mas que tem tudo a ver com risoteiras, tricoteiras e curiosos. Cliquem nos links abaixo e vamos começar a semana com muito o que pensar.

Comunidade alemã decide ter uma vida sem automóveis e vira referência. (Enviada pela Sílvia Tabarelli, do Silkelita.)

Luta pela infância, por Rosely Sayão. (Enviada pela Hegli, do Educação Ambiental Contemporânea.)

Cabelos brancos - matéria do Mais Você discutindo o ato de pintar os cabelos, com a Sílvia Tabarelli (ó ela aqui traveis!), exibindo orgulhosa sua linda cabeleira grisalha. Todo mês, quando me lambuso de henna pra cobrir os grisalhos, penso nela com uma pitada de inveja.

6 comentários:

Luciana B. disse...

Taís, ainda não consegui ser desprendida a ponto de aceitar os cabelos brancos!! Henna neles....

hegli disse...

Oiê... Estive com meu note confiscado pelo marido estes ultimos dias, que tinha um trabalho urgente pra terminar (sempre tem)... enfim, adorei a matéria sobe a cdade sem carros.

Tive a oportunidde de particpar de um seminario com o Prof.Saldiva, da Usp, referencia no assunto "poluição do ar" e ele, muito bem humorado definiu quase teatralmente o "status" que o carro proporciona.

É o lance do ter para ser. As propagandas colocam o interior do carro como um mundo à parte, um lugar dos sonhos, e assim vendem essa idéia as pessoas: hj os carros tem além do som, ar condicionado, dvd, gps, video game e todo arsenal para que se feche a janela e se viva num outro mundo, no seu mundo particular.

Basta por um bom insulfilm e nem a cidade vc precisa olhar mais, só precisa, como o burro, olhar pra frente e seguir o fluxo.

Bjus

pimenta disse...

Taís, vou publicar vc lá no blog, pode?
Posto com cabeçalho e tudo, pode?
bjo

pimenta disse...

Eu vivi 3 anos absolutamente bons sem carro.
No fundo, a vida volta a ser simples quando você programa a vida com tudo que está ao alcançe de uma pedalada,ou caminhada.Em Floripa isso ainda é relativamente fácil.
Sobre cabelos, nem posso falar, tenho-o maquinado, e grisalho.
bjo

Taís Vinha disse...

Luciana, tb uso henna desde os 16 anos! Não aguento mais, hahahahahahaha. Mas ainda não consigo assumir os grisalhos que insistem em aparecer. Não sei quem é mais teimoso...

Hegli, eu adorei o conceito das cidades. Fiquei imaginando se eu conseguiria ficar totalmente sem carro, como faria para viajar e etc, mas me lembrei que sempre se pode alugar um num caso de "precisância" e que sairia incrivelmente mais barato que manter o bonitão à sua disposição todos os dias do ano. Mas viu como o individual ainda impera em nosso pensamento? Temos ainda um longo caminho pra tirar o insufilme da vida. Meu consolo é que as próprias montadoras estão se matando, ao enfiar tanto carro na rua, sem rua pra todo mundo. Tá causando uma overdose, lenta porém inevitável. P.S: sentimos sua falta. Manda o marido devolver o micro.

Pimentinha do blog proibido para menores, pode publicar sim. Será uma honra! Vc agora tá morando em Floripa? E tem cabelo grisalho e maquinado? Chique!!!!!!!!!

Bjs!

silkelita disse...

Nossa, vc acordou inspiradíssima na segundona, misturou tudo e fez uma boa vitamina!!!!! Adorei ser inserida nos contextos ambientais e educacionais. Afinal, tudo passa pela atitude, né?
bjs
VovóMadô, sua fã.