14.3.09

Pequenos heróis da resistência.


Conversando com amigas, constatei algo engraçado e comum a muitas de nós, mães "neuras e naturebas com muito orgulho": temos filhos que dão nó em pingo d'água para conseguir comer uma porcaria. Meu caçula, por exemplo, chegou em casa outro dia contando que tinha virado amigo de um colega que ele nunca foi com a cara. "Ele é superlegal, mãe. Ele leva biscoito Traquinas de lanche todo dia!". Este mesmo filho tinha o hábito de sempre visitar a vizinha. Eu achava uma graça o interesse dele pela velhinha solitária. Achava até que ele estava substituindo a figura das avós, falecidas. "Mãe, eu amo esta vizinha!" Até que descobri que ela mantinha uma caixa de bombons sempre cheia, reservada para ele sobre a mesa.

O outro, menos interesseiro, descobriu o paraíso: o potão onde os alunos compartilham o lanche que não vão comer. Ele sempre dá uma olhada para ver se não descola uma bolacha recheada ou um Todinho. Mas a glória mesmo é o dia que sobra um bolinho Ana Maria.

Soube de um garotinho que os pais nunca adoçavam o suco, nem mesmo o de maracujá. Um dia ele provou o suco do colega. Deliciosamente açucarado. Desde então o pequeno virou um atacador ninja do suco alheio.

Já a filha de uma amiga, é fina. Vai se aproximando no papo, na ginga e entre um lero e outro, fisga um nuggets ou um biscoitinho do colega incauto.

E assim, eles vão se virando. E sobrevivendo. Ao mundo, aos amigos, mas principalmente, à nós, mães.

11 comentários:

Vanessa disse...

aimeudeus, o que me espera. Por enqto o meu é bebê e só come o que eu dou. Aiaiaiai

Taís Vinha disse...

Aproveite, aproveite porque daqui a pouco... Perguntinha: ele só como mesmo o que vc dá? Nunca chupou um cordão de sapato, um caramujinho do jardim ou a escova de dente da visita? Uma vez, flagrei o meu caçula molhando um pirulito na água da privada e chupando. E achando demais! E a gente se mata esterilizando a tralha.

Bjs!

Taste Blog disse...

rs Adorei o comentário. Meu sobrinho era mega chato pra tomar mamadeira, um dia descobrimos que ele se deitava e lambia o leite com o gato. Literalmente disputavam o leite da mamadeira que ele não tomava...

Taís Vinha disse...

Ahahahahaha!!! Amei! Esta história sozinha dava um texto. E a mãe quando descobriu? Mandou o gato embora? Ou aumentou o tamanho do pires?

Bjs

Anônimo disse...

A saga não termina nem na adolescência. Depois de uma certa idade o difícil é fazê-los comer,...comer uma comidinha caseira.
Nas sexta-feiras o jantar é sempre especial aqui em casa, pois é quando meu filho e meu enteado estão com a gente.
Meu enteado de 13 anos sentou na mesa para jantar diante de um pernil assado maravilhoso que preparei por dois dias e teve a pachorra de dizer "Sou kosher"!!!! O menino nem circuncizado é e comemora muito o Natal! O pai (meu marido) achou engraçadíssimo, eu só consegui rir alguns dias depois.
No dia sequinte do episódio do porco, na casa de uma amiga, diante de um frango delicioso disse "Que era vegetariano". As amigas acham lindo! Ele comeu macarrão puro.
A solução? Liberei comida congelada pronta (mas só pro enteado, pro meu filho não!). Tudo em nome do meu terceiro casamento!

A Madrasta

Taís Vinha disse...

Madrasta,

Ai, a adolescência...ainda não cheguei lá com meus filhos. Mas me lembro que fui a mais mala de todas. Não sei como meus pais e irmãos sobreviveram.

Uma dica: todos os dias de manhã, sente em posição de índio (pernas cruzadas) e repita: ohmmm, ohmmm, ohmmmm. Seja zen e antes que vc imagina, o vegeta kosher vai estar mandando ver no pernil. Ninguém consegue viver de hot pocket sadia por muito tempo.

Uma curiosidade: um dia meu filho foi brincar com um amiguinho que tem pais separados e o pai se casou novamente. O garoto contou ao meu filho que tinha feito uma atividade qualquer com a madrata. Meu filhote arregalou os olhos e soltou: "Nossa! Você tem uma madrasta?". Hahahaha. Nem o bicho papão teria causado tanto medo! E vai explicar que nem toda madrasta é igual à da Cinderela.

Ohmmm, ohmmmm...

Bjs!

Silvia disse...

Hahaha! É duro, viu? ;-)

eliarapr disse...

Ai ai ai ... dizem q. vou pagar caro e q. meu filhote de 3 ainda vai me ensinar o q. liberdade de escolha. Só q. por enqto. ele come mingau de aveia, fervido com água e adoçado com mel(colhido na apiário do avô) ou açucar mascavo.
Só fico com taquicardia qdo. vamos a uma festa de aniversário e ele passa uma semana pedindo (quero docinhos coloridos de sobremesa!!!) até compro saco de balas para driblar, principalmento qdo acho aquela de banana e açucar.
bjos e vamos rezzzar para aparecer "porcarias" integrais imitando tdo esse lixo colorido e cheio de sabor artificial q. é uma praga em nossa vida atual e não conseguimos ficar sem cosumir... (segundo meu ex-mestre de yoga, a bromeina... extraida do cacau e usada tb. no cigarro, faz com q. fiquemos viciados e os pequenos alucinados (cheio de bicha como dizia vovó)
bjos
by.

Ana Carmen disse...

Taís, de novo um texto que fala de mim... Mãe natureba que adoça com mel ou açúcar mascavo e que tenta sorrir com elegância quando a avó e as outras mães fazem sabotagens.

Minha sorte é que convivi com duas crianças que viviam em comunidade alternativa em Pirenópolis e quando chegavam em SP para ficar na casa da avó pareciam dois esganados mortos de fome que nunca haviam provado pizza e brigadeiro na vida. Aprendi a lição (espero) e procuro não ser xiita e chaata.

Taís Vinha disse...

Ana, o meu mais velho (o único que consegui controlar um pouco mais) uma vez foi a uma festinha acompanhado de uma tia. Quando soltaram os algodões doces, ele comeu 8!! Tem noção do mico! E a gente nem mora em Pirenópolis. Bjs!

Ana Cláudia disse...

Estou morrendo de rir com as histórias. Não é fácil, não é fácil... Aqui em casa eu tenho que educar o pai também que é um besteirólata de carteirinha. ok, já melhorou muito mas ainda assim, é uma luta diária.