31.3.09

A ilusão da reciclagem.


Sempre fui fã ardorosa da reciclagem. Aqui em casa separar o lixo útil é um hábito incorporado no nosso dia-a-dia. Mas esta semana, alguns fatos me fizeram rever completamente esta postura.

Explico. Aqui, em São José dos Campos, há um sistema municipal de coleta de lixo reciclável. Esta coleta funciona bem. O caminhão da prefeitura passa 3 vezes por semana na minha porta e recolhe tudo o que separamos. Neste quesito, sem dúvida, estamos à frente de muitas de cidades brasileiras. Infelizmente.

O problema vem depois. Esta semana, conversei com duas pessoas que visitaram o local onde é feita a separação do lixo útil e ambas me deram a mesma informação: é alta a quantidade de material reciclável que é descartada na separação e vai parar no aterro comum. Há vários motivos - a população ainda não sabe separar o lixo, o caminhão compactador danifica o lixo útil e acaba dificultando a separação, embalagens muito sujas, as luvas grossas dos selecionadores impede que pequenos pedaços de plástico, vidro ou papel sejam recolhidos, a reciclagem de alguns materiais é cara e não há comprador no mercado, a técnica usada na separação é muito empírica etc. De novo, os motivos são vários. E o resultado é o mesmo. Parte do material que separamos na boa fé, acaba no lixão.

Isso em uma cidade onde há um programa oficial de reciclagem do lixo. Imagine nas outras!

Já com os catadores e cooperativas, o problema é que eles recolhem o que dá lucro. E ultimamente houve uma baixa muito grande no preço do material reciclável que os fez ficarem ainda mais criteriosos. Dizem que é a crise. (O governo dá dinheiro pra banco, pra indústria automobilistica, deveria também intervir no preço do material reciclável para evitar catrástrofes ambientais e desemprego das milhares de famílias que vivem dele.)

A verdade é que a ficha precisa cair. Reciclagem é paliativo. Não dá para colocarmos o lixo útil na rua achando que o problema está resolvido e que estamos fazendo nossa parte. Pensar assim, é tapar o sol com a peneira. É permitir que governo e indústria continuem com a mesma postura irresponsável de sempre. Ninguém assume o lixo. A verdade é que se coloca umas lixeirinhas coloridas por aí, dá uma recolhida por ali, divulga-se uns dados que nos colocam no primeiro mundo da reciclagem e todo mundo se acalma. O consumo continua o mesmo, as atitudes mudam pouco e os aterros permanecem à beira da exaustão.

E o que é pior, a cada dia, surgem substitutos plásticos para produtos consagrados (e ecologicamente muito mais saudáveis), como os copos de requeijão, os vidros de maionese (agora só na pet) e rolhas de cortiça. "Ah, mas é tudo reciclável". Sim, mas quem garante que o destino será realmente a reciclagem?

Devemos então parar de separar o lixo? Não! A reciclagem é maravilhosa quando feita pra valer. Mas sabemos que nisto não se pode confiar, então temos que REDUZIR.

E como é que se reduz a quantidade de lixo produzida? Mudando hábitos. Consumindo menos. Boicotando produtos nem aí ambientalmente. Fazendo mais coisas em casa. Elegendo governantes definitivamente comprometidos com a causa ambiental. Ensinando nossos filhos a viver com menos.

Daqui para frente, publicarei alguns textos com dicas domésticas para reduzir a produção de lixo. Todos estão convidados a contribuir. Enviem suas dicas, seus textos, seus sites interessantes. Vamos arregaçar as mangas e mostrar para o governo, indústria e comércio que temos a força (E temos. Não subestime o poder de um resultado negativo de pesquisa!)

Quem quiser nos servir sempre, vai ter que fazer muito mais do que apenas servir bem.

25 comentários:

Vanessa disse...

Opa, aguardo as dicas :-)

abraço

Sandro Monteneri disse...

minhas primeiras dicas para diminuir o lixo:

Para quem prefere suco no lugar de refrigerantes:

Se você comprar 4 litros de suco em embalagem tetra pack, serão 4 embalagens, mais as 4 tampinhas que acabam sendo perdidas em algum canto da casa. Se puder substituir por uma garrafa de suco concentrado '' tipo maguary '', você terá os mesmos 4 litros, em uma única embalagem, e também será mais econômico financeiramente. Lógico que nesse caso, vale a pesquisa também por produtos não prejudiciais ao organismo, como conservantes, edulcorantes, etc. Outra opção é fazer o próprio suco em casa.

pra quem não dispensa um cafezinho:

Use filtro de pano, dessa forma além de não aumentar seu lixo com filtro de papel sujo, economiza dinheiro por não gastar com filtro de papel.

Silvia disse...

AMEI o texto, Taís, é isso mesmo: não adianta a gente depender dos outros quando se trata de reduzir o impacto ambiental. Temos que fazer nós mesmos. Eu separo meu lixo, mas sempre quis saber como eram de verdade os bastidores da coleta seletiva. Taí. Confirmadas as minhas suspeitas, infelizmente.

Por falar em reduzir o lixo, passa pra mim, por email, a receita pra fazer iogurte/coalhada.

Ah, sim: uma forma excelente de reduzir o consumo de embalagens é comprar na feira - com saquinhos e sacolas levados de casa, claro. Na barraca da água de coco, eu levo as garrafas e ainda ganho desconto.

Silvia disse...

Ah, sim: sobre os sucos de caixinha, mais uma desvantagem: a quantidade absurda de açúcar que eles têm. Numa daquelas caixinhas pequenas, que muita gente manda pra escola (e que o maridon insiste em comprar pras meninas volta e meia) tem QUATRO - QUATRO! - colheres de açúcar.

Anônimo disse...

A última chave fecha com chave de ouro!
Imagino que essa coleta não atinge nem uns 10% da população, pois é mais fácil eu convencer a empregada evangélica a tomar um porre do que da importância de se reciclar todo o lixo possível que entra na minha casa e na casa dela!
Beijos Dri

FININHO disse...

Whala...

boa Thaís...

sobre a coleta, sinceramente acho q ela nunca passou no Jardim Colonial( Zona Sul)

mas é isso aí...

Mas precisamos mesmo é reciclar a raça humana... que tal colocarmos os politicos, nas latas vermelhas, os jogadores de futebol nas azuis, e as ex-mulheres nas amarelas... o que voce acha..?!?

De vez em quando posto algumas bobagens por aqui tambem: podredentepodre.blogspot.com

seja benvinda...!!!)

Andréa disse...

Taís,

Que legal saber que vc mora em SJC. Eu também moro!!

Aqui em casa separamos o lixo - sou curitibana e já trouxe este hábito quando me mudei de lá para cá. Mas fiquei triste ao saber que infelizmente o sistema de coleta e separação para reciclagem estão longe de serem eficientes.

Olhe, coloque mais dicas, que vou tentar seguir. Já fiz muitas coisas propostas por vc: adotei o coletor menstrual, agora usamos bucha vegetal na cozinha e no banheiro (compro na feira), peço sempre caixas de papelão no supermercado. E já avisei a empregada que quando acabar o perfex, ela vai ter que passar a usar trapinho de algodão pra limpar a pia! Claro que ela não gostou muito da idéia, mas vai ter que se acostumar...

Beijão.

Silvia disse...

Sabe no que eu tava pensando hoje? Que, em primeiro lugar, a coleta seletiva tinha que ser por itens separados, como nos EUA. Lá, pelo que entendo, eles recolhem cada tipo de lixo separadamente. E ai de você se não separar direitinho. Eles não levam.

Segundo, acho que tinham que fazer como na Itália (quem sabe disso direitinho é o Flávio Prada, lá do Faça), e limitar a quantidade de lixo que cada residência pode produzir. E cada um que SE VIRE para produzir menos lixo. E se produzir mais, leva multa.

Pronto. Só assim o pessoal aprende.

Jorge Cordeiro disse...

Com certeza, dos três Rs (Reduzir, Reutilizar, Reciclar), o primeiro é o q precisa urgentemente ser mais posto em prática... Em seguida, o reutilizar (ou reformar).

parabéns pelo post!

abs!

denise rangel disse...

Post oportuno. Minha dica para reduzir a zero o uso de filtro de papel é usar uma cafeteira italiana, como esta que eu uso: http://drang.com.br/blog/wp-content/uploads/2008/08/cafe.jpg
beijo, menina

Lucia Freitas disse...

Aqui em S. Paulo são 3,5% das 15 toneladas (se não me engano) por dia reciclados... tsc tsc tsc.
Eu evito, principalmente, os produtos em bandeja de isopor... E também os superembalados (como congelados e vários tipos de biscoito, p.ex). Adorei a idéia de focar no primeiro R.
parabéns.

Taís Vinha disse...

Pessoal, desculpe o atraso em responder. Filho dodói. Mãe surtada.

Sandro, os sucos concentrados realmente evitam as caixinhas longa vidas. O problema, como vc disse, são os conservantes que abundam nestas garrafinhas. O melhor é ir de suco natural. Hoje fiz um de laranja com gengibre e mel (dica do Omar) e ficou o máximo! Tirando as cascas, lixo zero.

Silvia, eu tb acho que reciclar deveria ser lei. Assim como é usar o cinto de segurança e não dirigir alcoolizado. É uma questão de saúde pública. Vou escrever algo sobre isso.

Jorge, você está certíssimo. Reusar tem tudo a ver com reduzir. Vai entrar na lista. Obrigada!

Fininho, achei que a coleta em Sanja era igual em todos os bairros. Então, tem bairro que não está incluso?! Vou mandar um email para a prefeitura pedindo a listagem da coleta seletiva. Adorei a reciclagem da raça humana. Mas eu jogaria políticos no esgoto ou no aterro e cobriria com muita terra. Vai que sobre uma cepa...

Andréa darling, somos da mesma cidade. Que legal! Vamos trocar mais figurinhas. E os trapinhos na pia entrarão para a lista. Bjs

Denise, tinha me esquecido da cafeteira. Tenho uma identica à da foto, empoeirada no fundo do armário. Vai voltar pra ativa. Aliás, seu blog é demais! Adorei as dicas da hortinha. Tô tentando fazer uma e apanhando até!

Lucia, é ridículo o que se recicla na maior cidade do país. Absurdo. As bandejas de isopor são recicláveis, mas ainda é caro demais. Daí não se acha comprador. Melhor mesmo é evitá-las.

Mandem mais dicas! Bjs.

Taís Vinha disse...

Dri, quase me esqueci. O dia que o Ombudsmãe fizer um concurso de comentários espirituosos, vc é finalista honorária.

Bjs em vc e na empregada crente.

Tata disse...

Adorei a forma como vc colocou o problema. Reciclagem virou desculpa para o consumismo.
Não conhecia o blog, vou voltar mais vezes!

Graziela disse...

Tais sabe que por aqui as coisas nao sao diferente. Reciclamos, mas nao sabemos para onde vai o material ou o que fazem com ele. Outro dia li no jornal, que mandaram um navio, com nao sei quantas toneladas de "lixo reciclavel" para Africa, com a desculpa de que la eles precisam de trabalho (???). Voce entendeu, me explica, porque eu nao.
Queria so deixar uma dica, talvez no Brasil pode parecer ridiculo ao extremo, mas aqui ja estou acostumada, quando tem alguma confraternizacao, festa, encontro, ao lado dos copos de plastico, sempre tem uma caneta de escrita permanente. Voce pega seu copo e coloca seu nome nele, assim nao tem desperdicio, apesar de quase sempre ser copos de vidro ou canetas, mas fica a deixa para usar menos.
Um abraco, adoro seu blog
Gra

eliarapr disse...

Oi thurma, compartilho muito do pensamento de vocês. Como Educadora Ambiental, a última vez q. fui à usina de reciclagem na URBAM, ....sentei na beira do caminho... e chorei... Confesso q. perdi o sono naquela e muitas outras noites. Entendi porque a Prefeitura de São José, só fala em reciclagem e chama a Grande educadora ambiental (Vera Assis) de São José para dar entrevista qdo interessa (não sei para quem). O q. não estou entendendo agora e a tal de Cooperativa... a meu ver uma forma de terceirizar a reciclagem. Fazer postos de coleta seletiva qdo. tinhamos tudo para educar toda a população municipal. Mais uma vez o capitalismo ganhou. Provavelmente, a reciclagem via residências/usina não interessa para o poder econômico. Precisamos trabalhar, cuidar de filho. Quem é q. tem tempo de levar sucatas nos postos de coleta? Parabéns São José. O poder econômico ganhou. Os postos de coleta seletiva indica q. não será feito nada para melhorar o q. ensinamos com carinho para nossos filhos, maridos e empregadas (evangélicas/ católicas/espiritualistas/ubandistas etc) Em São José existe Coleta Seletiva só de fachada... mas vou continuar separando, colocando vidros quebrados em latas fechadas ou em pacotes porque espero q. se alguém manipular no meu lixo para buscar latas (não encotrará porque raramente as consumo)não irá de sujar e muito menos se cortar...Não volta, não laver um embalagem para mim é falta de respeito com os trabalhadores da usina. E, tb, fica mais higiênico no vasilhame q. coloco os recicláveis.
bjos a tds

Há qto. aos sucos, qdo. não posso consumir os naturais, vai um superbom, salton, (integrais sem açucar) e Aurora s/açucar) Meu pequeno de 3 anos toma só diluido em água.

Qto. ao café, uso um filtro permanente. (comprado na loja de 1,99, por R$2,50. Além da economia é fácil de lavar. Aquele de tecido, por mais q. digam q. o café fica melhor... não dá para combinar com mãe q. tabalha fora e não pode pagar cozinheira... Temos q. fazer escolhas. Qto. à ECOLOGIA, gosto da opinião do Hugo Penteado, Podemos fazer muitas coisas mas o diferencial só virá da mudança de paradgma do Capitalismo. Ou seja, teremos q. reciclar a humanidade.
Desculpe a prolixidade. Há muito tempo esta assundo da URBAM de São José estava me dando amgdalite.
boa Páscoa com ovos de sabedoria, esperanças e com pouca embalagem (são tão lindas)
by e.

Taís Vinha disse...

Elisa, ilustre visitante!

a gente estava mesmo precisando de alguém que conhecesse mais a fundo o processo. E pelo jeito é pior do que pensávamos. Uma das pessoas com quem falei, disse que a perda de material reciclável chega a 40%!!!! Não publiquei este dado pois não é oficial e não tenho como comprovar. Mas me assustou.

Mas, a humanidade aprende. Se não for pelo amor, será pela dor. Mas aprende.

Bjs

Taís Vinha disse...

Graziela,

Acho o fim do mundo este negócio de exportar lixo! Se o 3º mundo parasse de aceitar eles teriam que dar um jeito, certo? sabe que tem estado americano que não tem mais lugar pra colocar lixo? A Nova Jersey é um. Manda barcas enormes de lixo pra outros estados ou países. Triste!

A dica da caneta marcadora de copos é ótima!! Adorei. mas o melhor seria marcar o copo de vidro e ficar com ele até o final da noite. Assim é lixo zero mesmo. Aqui em casa tenho oferecido copos de vidro para os adultos, nas festas, e de plástico (não descartável) para a criançada. Funciona superbem. Nunca mais comprei copos descartáveis e eles não fazem falta nenhuma.

Bjs!

Cintia disse...

Queridaaa, obrigada pelo comentário super fofo no meu blog... Preciso voltar a escrever lá, sinto falta...
Mas preciso confessar que estou passada... Vc mora AQUI em São José dos Campos ?!?!? hahahaha
Gente.... Eu tb !!! Q engraçado e que loucura !!! Aonde ? Desde quando ?? hahaha Adorei essa !!!
Beijos

Taís Vinha disse...

Cintia, vc é a Ci x3? Achei que vc era de SP. Moro em Sanja há 7 anos. Te dou os detalhes por email, que tal? Me mande um! Que coincidência, não? Bjs!

Lola disse...

Oi, Taís,

O que fazer com o lixo é exatamente o assunto que estará em pauta, não só no meu site, mas, na minha casa. Aqui onde moro, como na maioria dos locais do Rio, não há coleta seletiva. Percebi que separava o meu lixo e depois que o caminhão pegava, tudo era massacrado junto e de nada adiantava meu trabalho. Fui procurar uma solução para isso e descobri o ferro velho. Não tenho interesse no dinheiro, mas, na reciclagem e, neste caso, a própria indústria vai buscar neste local. Tenho mais trabalho porque tenho que separar até papel de papelão e levar até lá, mas, valeu a pena, minha filha, está me ajudando e algumas pessoas que comentei também estão descobrindo que não jogam lixo fora, mas, dinheiro. Não dá para contar tudo aqui, farei uma postagem sobre isso.

Beijo e adorei sua postagem.

Esther disse...

Bem eu continuarei reduzindo, reutilizando e pondo o material reciclável nos locais adequados, aliás no meu trabalho passa toda noite um catador é para ele que eu levo meu material lavado, separado e que deve servir para aumentar a renda mensal pois ele passa 2 vezes na rua qdo tem material suficiente .

Letícia disse...

Thais, tudo bem?

Faz tempo que leio o blog. Cheguei aqui quando pesquisava na net sobre Alfabetização Precoce e vi seu texto sobre o assunto e... concordo demais. Mas isso é assunto pra outra hora.

Por hora, tô feliz demais porque encontrei pessoas que pensam como eu. Eu confesso que andava incomodada com algumas coisas, entre elas a "moda da reciclagem".

Parei pra pensar nesse negócio e vi que não tá legal não. Bom, moro em Contagem - região metropolitanda de BH e por aqui nem se pensa em coleta seletiva na porta de casa.

Euzinha aqui, fico separando lixo e levando de carro até um posto de coleta. Pois bem. Mas é muuuuuuuuito lixo. Ando encucada com o quanto de lixo que fazemos. Cruzes. Eu faço todas as refeiçoes em casa, para mim e minhas filhas. Só o saquinho de lixo orgânico da cozinha troco 3X por dia. E olha que temos galinha e damos algumas coisas para elas (cascas de frutas, legumes, ovos.) Algumas outras coisas usamos para preparar um adubo para nossa horta.

Bom, a escola também pede os materiais reciclaveis para fazerem "arte" com as crianças. Lindo ver a caixinha de leite virando algo bonitinho, mas e depois.... vai tudo pro lixo de qualquer jeito. Já parei de mandar pra lá também.

Passei em frente ao lixão outro dia e.... chorei.

Aonde vamos chegar buscando praticidade? Porque as pessoas querem tudo novo. Precisamos urgente pensar nos reutilizaveis e retornaveis porque reciclar gasta energia também.

E acima de tudo: precisamos consumir menos industrializados.

É muita mudança de paradigma de uma vez só, mas o problema é toooooodo nosso.

Estava explicando para minha filha como funciona o lixão e ela perguntou: mas eu quando acabar este espaço? Vai chegar na nossa casa?

... sim, vai....

France disse...

Oi, Thaís
Adorei o seu blog.
Adorei o post também. Ultimamente só se fala de reciclagem. Isso já virou uma indústria. Nós devemos sim separar o lixo, mas como você colocou o mais importante é reduzir o consumo, pensar muito antes de comprar um produto industrializado.
Uma dica de suco é laranja, maçã e gengibre. Experimente! Outro suco legal que faço é abacaxi, maçã e hortelâ, não precisa nem colocar água nem açucar. Fica gostoso também acrescentar umas folhas de couve. Claro que tudo deve ser coado, de preferência em coador de pano ou aqueles de voil de coar suco da luz do sol.
Quanto ao isopor você pode reciclá-lo utilizando para fazer brotos de trigo para colocár no suco.
Uma dica legal para reduzir o lixo orgânico da cozinha é adquirir aqueles minhocários de plástico.
Eu tenho um aqui em casa. Você pode até colocar os coadores de café. As minhas plantinhas agradecem!
Ah! E a dica da bucha vegetal achei excelente. Eu já uso há vários anos na pia e no banho, e como ela é vegetal, quando ela acaba eu pico e coloco para as minhocas.
Um grande abraço,
France

Mamãe caprichosa disse...

Olá!
No começo do ano, estive viajando para os EUA. Lá eles usam o triturador para certos tipos de alimentos orgânicos:casca de frutas, resto de comida, restos de legumes, etc. Achei bem interessante, pois reduz muito essa quantidade de lixo "molhado" que despejamos todos os dias nos lixões. Só não sei se a nossa rede de esgoto está pronta para receber essa quantidade de amterial triturado??!!

Quanto ao lixo reciclado, já sabia disso...as pessoas, por exemplo, jogam as embalagens sujas. O que inviabiliza a reciclagem....infelizmente, falta muita educação e conscieência. Só boa vontade não basta!!
Abs
Carla