25.3.08

Boas vibrações para mães sozinhas.

Sempre admiro mulheres que criam filhotes sozinhas. Admiro e oro por elas porque, se a dois a missão já é quase impossível, imagine sozinha, sem ninguém pra dividir as tarefas cotidianas, as carências, as demandas constantes. Tenho algumas pessoas muito próximas e queridas que embarcaram nesta aventura. De vez em quando trocamos lágrimas e risadas. O filho de uma delas enxugava o pipi com papel higiênico depois que fazia xixi, pois a mãe achava que era assim que os homens faziam e foi assim que ela o ensinou. O pai dele, que mora longe, um dia descobriu e ficou chocado. Acabou dando uma aula de como “chacoalhar o dito cujo” para o menino. O filho de outra, num churrasco em família, saiu desfilando com o vestido da prima, feliz da vida sem nenhum bloqueio paterno, para indignação do avô e dos tios que, chocados, perguntavam como a mãe permitia.

Mas engraçado mesmo foi o dia em que o filho de uma amiga ultraquerida encontrou um pequeno vibrador na cabeceira da cama dela. “Mãe, o que é isso?”. Ela rápida: “é um aparelho de massagem,” Ele adorou: “Pode ser meu também?” Ela querendo encerrar: “Pode, mas não pode sair do meu quarto, ok?”

A partir daí, de vez em quando, o menino se entretia com o brinquedinho. Brincava um pouco, punha na gaveta e esquecia. Até o dia em que o ex-marido veio visitá-los. Quando minha amiga chega, encontra os dois na cama dela, com o menino inocentemente massageando a cabeça, o rosto e o pescoço do pai com o vibrador. Ao vê-la, o pai cai na gargalhada: “Muito bom esse massageador, não”. Passado o constrangimento absoluto, choramos de tanto rir.

.

4 comentários:

Carolina Coelho disse...

Hauhauahuah!!Tive crise de riso aqui no trabalho! Já mostrei o texto para várias amigas!!
Bom, eu tb admiro muito as "mães solteiras", inclusive pq já fui uma delas e conheço bem as dificuldades.
Quando me casei, minha princesa estava fazendo aniversário de 4 anos e durante o noivado, meu marido morava em BH.
Enfim, mães solteiras são heroínas em dose dupla.
Abraços pra vc e parabéns pelo excelente texto: Humorado, leve e muito bem escrito.

Carla Beatriz disse...

Olá Taís,

Cheguei a teu blog pelo blog O Futuro do Presente e confesso que gostei muito do que li aqui.
Eu sou uma mãe sozinha que trabalha o dia inteiro e crio meus dois filhos com a ajuda preciosa de meus pais, apesar de não morar junto com eles.
Não é nada fácil, pois tenho que ser eu mesma resolver as coisas, estando eu cansada ou carente.
Quando ainda era casada, meu filho gostava de brincar com um boneco bebê que tinha sido meu. Meu ex-marido logo o tirava das mãos dele e mostrava um carrinho: "Olha filho, é assim que se brinca".
No ano passado, meu ex-marido teve um bebê com esposa atual e meu filho chegou em casa, pegou uma boneca da irmão, deu banho, embrulhou na toalha, secou com todo o cuidado e me disse: "Agora a neném está pronta para dormir" Eu me enterneci com a doçura de seus atos, pois imaginei que ele repetiu o que o pai fez com a irmãzinha. Ele um dia também será pai e eu quero que participe na criação de seus filhos, dando banho, trocando fralda, ninando para dormir, etc.

Um beijo,

Carla

Virgínya disse...

Coisas do cotidiano.... seu texto foi ótimo, descontraído e bem humorado, mas há tb q se admirar essas tantas "pães" que existem hj em dia.

Vamp Plush Poison disse...

Sou mãe solteira e tenho enfrentado atualmente a difícil tarefa de lidar com as mudanças de humor de uma pré-adolescente e uma adolescente. A parte do Padecer eu já estou entendendo... quando vem a parte do Paraíso.

Venessa.

http://maesesolteiras.blogspot.com/