29.3.16

O criado-mudo.




A mãe mexe no celular quando o filho, rapazola, se aproxima:

“Mãe, o que é isso?”

Ela responde sem olhar:

“Isso o quê?”

O moleque bufa:

“Isso! O que é isso que achei na gaveta do seu criado-mudo?!”

A mãe levanta os olhos e vê o garoto lhe apontando um objeto. Ela responde calmamente, sem mudar de expressão:

“Um vibrador. Você sabe o que é isso.”

O menino arregala os olhos:

“E o que isso está fazendo na sua cabeceira?"

A mãe ergue uma sobrancelha e, incorporando a diva de cinema mudo, devolve calmamente:

“Você quer mesmo que eu te explique?”

O adolescente franze o rosto com asco:

“Ai...que nojo! Você é minha mãe! Eu não estou pronto para saber dessas coisas.”

A mãe estica a cabeça e faz cara de quem não está entendendo:

“Bom, se você não está pronto, por que mexeu no meu criado-mudo? Não sabe que em criado-mudo de mãe não se mexe? Criado-mudo é zona proibida. Você procurou e achou. Agora seja mocinho e lide com esse fato da vida.” 

O menino exclama indignado:

"Da minha vida, né?! Porque tenho certeza que as mães dos meus amigos não têm um negócio desses na cabeceira."

A mãe sorri:

"Não sei. O que elas guardam no criado-mudo não é da minha conta e nem da sua."

“Eu...eu...não quero ter essa conversa com você! É muito nojento!”

A mãe conclui, antes de voltar para o que estava fazendo: 

“Você pode não querer falar, mas agora não tem como não saber: sua mãe tem um vibrador.”

O menino ergue a voz enquanto se afasta:

"Mãe, você é RI-DÍ-CU-LA!”

A mãe devolve no mesmo tom:

“VI-BRA-DOR! Serve para GO-ZAR. Agora, coloca direitinho de volta no lugar, tá bom, bebê? Não quero ter que ficar procurando."

"ARGH!"


Foto de Lachmanifesto

Um comentário:

Ana Júlia disse...

Nada como um ótimo texto provocativo.
Saudades

Ana Júlia