24.3.10

"Mamãe, quero ser sexy!"


Uma das técnicas mais vis de se expandir o mercado de necessidades surreais, isto é, aquelas que não precisamos mesmo, é adultizar a infância e infantilizar os adultos.

Essa teoria foi exposta por Benjamim Barber no 3º Forum Internacional Criança e Consumo.

Difícil contestar. Crianças infantis consomem menos. Agora, uma menininha "putinha" - com total respeito ao leitor e uma raiva muito grande dos (ir)responsáveis - consome maquiagem, salto alto, cremes, bolsas, parafernálias eletrônicas, acessórios, roupas etc, etc, etc. Os meninos também estão na mira. Tênis de grife, bonés, agasalhos, correntes, aipodes e aifones, videogueimes, academias, brincos, eletrônicos em geral e etc.

E as mensagens de que eles precisam se portar como adultos é passada bem debaixo do nosso nariz. Já parou para assistir a programação infantil? As crianças mostradas se vestem como adultos, se maquiam como adultos, falam e agem como tais. Tem bandas de rock, namoram, são empresários, sacaneiam, são sacaneados, fazem chapinha, tem corpo saradinho, cometem bullying, comem porcaria. Com rarissíssimas excessões, nenhum personagem mostrado na TV, hoje, tem infância. Ninguém brinca. Esqueça o Chaves ou o Sítio do Pica Pau Amarelo.

E pior. Nos programas genéricos, isto é, os que não são específicamente infantis, vemos crianças adultinhas sendo abusadas, como a nova mini Lady Gaga, que dança imitando uma stripper e o SBT exibe como sendo a coisa mais "gracinha" do mundo.

E não é só a TV que está adultizando a meninada. Agora temos turma da Mônica jovem, Luluzinha Teen, salão de beleza para crianças, naiticlubes em bufê infantil, casaisinhos na pré-escola e a lista vai longe. Muito longe. A Cinderela 2 (ou seria a 3) volta com conflitos matrimoniais. E a Barbie sei lá qual, namora um príncipe idiota, que precisa ser defendido por garotas que empunham espadas e dão piruetas de saltinho. Adeus, fantasia!

É a lei do mercado, dizem. E nessa, tal como na Lei Divina, ninguém interfere. Com isso, vamos formando uma geração de adultinhos mirins, que já dão sinais da adultice precoce: corpinho de mocinhos, doenças de mocinhos, gravidez de mocinhos, consumo de mocinhos, conflitos de mocinhos, neuras de mocinhos e tudo isso, sendo gerenciado por algo que não dá para mudar: maturidade de criança.

E os pais nisso tudo? Temos culpa. Se temos. Mas também somos vítimas. Continuando a teoria, Barber coloca que esta geração de adultos está sendo infantilizada. Pais infantis não conseguem dizer "não". Afinal dizer "não" é da competência de seres maduros. Então, mantemos uma humanidade eternamente jovem, obcecada por não envelhecer, por consumir e aproveitar cada minuto como se não houvesse amanhã. É insegura, egocêntrica e egoísta, como qualquer criança.

Estes são os adultos responsáveis por regular seus filhos até que eles consigam se auto-regular.

Entendendo isso, começamos a entender porque a mãe da mini Lady Gaga assiste à filhinha com os olhos marejados de emoção. Pobre menininha. Pobre mamãe. Pobre todos nós.

32 comentários:

Pérola disse...

Clap, clap,clap [de pé ]

Beijos e bom tê-la de volta!

Anônimo disse...

Oi Tais! Nossa que tema super difícil esse não? Esses dias mesmo o nosso filho de 3 anos e meio disse que queria comprar um brinquedinho para a cachorrinha dele (que ele acabou de ganhar), nos espantamos e dissemos que não precisava comprar nada para ela pois o que ela mais gostava de brincar já estava indo para casa. Ele perguntou o que era? E dissemos que era o dono dele (ele mesmo) Ficou muito contente e passou a tarde brincando com ela. Falando sobre moda infantil, sempre achei perigoso isso de dar sapatos para crianças, sempre pensam em preços, moda e muito pouco na saúde da criança, depois de alguns anos o que vemos é uma criança com sérios problemas posturais por estar usando um sapato de salto ou duro de mais quando na verdade devia estar descalça, suja, correndo por aí...
Beijos, adorei a postagem, Dri.

Tais Vinha disse...

Oi flores! Pérola, bom tê-la de volta, também! Como estão as coisas?

Drica, que resposta ótima sobre o brinquedo do cachorrinho! Bem lembrado: salto alto acaba com a coluna das meninas! Mas mesmo assim, a indústria segue sem regulamentação e os pais sem critério. Um absurdo! E as meninas indo maquiadas na escola? Por mim, tinha que cortar. Não pode e pronto. Xiita. Por quê, tia? Porque maquiagem é para adultos e você é criança. E ponto final.

Bjs!

Paula ZZT disse...

oi, TaVi.
Nem sei o qeu comentar.... Tô ainda digerindo.. É daqueles textos que a gente lê e fica pensando em tanta, mas tanta coisa...
No fundo ninguém quer ser maduro e todos querem ser jovens e já fazemos as crianças serem jovens, pq essas crianças adultas são todos reproduções de jovens de 20 anos, nào de gente de 40 né?

Bjoks
Paula

Paloma, a mãe disse...

Taís, vc falou tudo o que eu sempre pensei e, quando tentei verbalizar, fui recriminada pela 'turma do deixa disso'. Mas eu concordo com tudo e escreveria ipsis literis este texto, que até já mandei para meu marido e amigos. Aliás, sempre mando os links dos seus blogs para amigos que não leem blogs, porque são bons demais.
A nós cabe impor limites (cada vez maiores, pelo visto) e preservar a infância - ou o que restou dela.
Beijos

Tais Vinha disse...

Pois é...vivemos na ilusão de que somos eternamente jovens. Seja lá o que é isso. Como disse o Frei Betto, no Forum, hoje a adolescência vai até uns 40 anos, porque ninguém sabe o que quer da vida, se casa, se separa, que emprego seguir. E depois dos 40 é todo mundo "jovem". E quer se manter assim até o fim da vida. É mais uma forma pra gente se encaixar.

Eu tb ainda tô digerindo o que foi discutido lá.

Bjs!

Bruna M. disse...

Oi Taís, também estou acompanhando teus textos e aplaudindo de pé.
Se antes as crianças eram consideradas adultos em miniatura e foi preciso lutar para que suas particularidades fossem respeitadas, hoje parece que temos feito o movimento inverso. "Adultizando", erotizando, pulando etapas.
Resta-nos saber o que fazer agora, como reverter o que já está feito, como voltar atrás, por onde começar.
O fórum deve ter sido muito interessante.
Um abraço,

Paloma, a mãe disse...

Ah, Taís, esqueci de dizer, mas já linkei este texto no meu blog.
Beijos

Hegli disse...

Muito bom Taís. Canso de ver os pequenos vestidos de gente grande. Até em aniversários infantis, meninas com unha e maquiagem de gente grande, mini vestido com decote e cintura marcada e salto “plataforma” !???!!????? E para provar que essa teoria do Barber tem sentido, geralmente a mãe e o pai dessas crianças tem um comportamento adolescente.

Gostaria de adicionar uma preocupação que muitos pais e mães se esquecem ao deixarem suas crianças fantasiadas de “gente grande atraente” que é torná-las acessíveis aos pedófilos.

Todos esses doentes espalhados por aí, os que assediam sexualmente, moralmente, verbalmente, os voyers, os que tocam maliciosamente essas crianças, falam coisas impróprias que podem causar confusões na cabeça da criança quando elas acham que, além de tudo, são culpadas por tal absurdo.

Infelizmente tenho vários exemplos de assédios que nem vou citar por serem tristes demais. Graças a Deus nenhum trágico, mas só assim muitos pais perceberam que todo cuidado é pouco com os pequenos!

Desculpe tocar num assunto tão delicado!

Micheli disse...

Maravilhoso texto, concordo com tudo o que você disse! Acho triste demais ver o que a infância tem se transformado hoje.
Entrei no seu blog hoje pela primeira vez, adorei, já estou linkando você.
Um abraço e parabéns!
clarinhacoqueirinho.blogspot.com

Tais disse...

Oi meninas, obrigada pelas indicações nos blogs. Esse assunto é muito complicado por ser muito difícil de lidar. A mensagem vem por todos os lados e é impossível blindarmos nossas crianças. Ainda mais se há irmãos, amigos ou primos mais velhos. Os pequenos acabam sempre expostos.

E tem as sutilezas: uma mãe pode deixar sua filha brincar com maquiagem, de vez em quando. Trata-se de um jogo simbólico, como usar o sapato do papai. Mas permitir que a filha, ainda criança, só saia de casa se passar batom é irresponsável.

Traçar estas linhas não é nada fácil. Mesmo porque, a coisa é feita de um jeito que parece inocente. Coisa de criança.

Bjs!

Roberta disse...

Eu fiquei com tanta aflição, tanta vergonha quando vi o vídeo dessa mini lady Gaga!! Também pensei como você: como é que uma mãe pode achar isso bonito, pode achar que essa exposição ao ridículo pode fazer algum bem pra essa menina? Sei que isso acontece desde os nossos tempos. Eu lembro que dançava o piripiri da Gretchen na sala de casa e nunca fui reprimida. Mas hoje essas coisas estão ganhando uma dimensão extrema, assustadora.
Ou é só porque hoje eu vejo com olhos de mãe? Não sei, mas acho que não.
Parabéns pelo texto.
Bjs,
Roberta

Silvia disse...

A Hegli tocou num ponto importante: a gente deixar as crianças se vestirem e agirem como adultos atrai um olhar errado. Eu já mandei trocarem de roupa aqui em casa por conta disso. kkkk Não que elas reparem que estão usando uma sainha curta e provocativa demais, elas pegam porque gostam daquela roupa, embora já esteja pequena. Mas, ainda bem, eu consigo dizer não - bastante, até. kkkk

Proíbo determinadas roupas, programas de TV, e assim vai.

E esse lance da gente ter que ser eternamente jovem, com tudo em cima, me irrita profundamente. A galera fazendo lipo, cirurgia plástica, tratamentos mil pra ficar com o corpinho e a cara dos 20 anos. Não dá. E o pior é que a gente fica meio arrasada de não ser linda daquele jeito também. Outro dia fiquei até com raiva: uma vizinha, que deve ter a minha idade, duas filhas, veio buscar a caçula aqui de shortinho curto e camiseta apertada sem *nada* fora do lugar. Como pode? Ser magra é normal, tem gente que tem a constituição mais magra, outras não (aham, aqui serve a carapuça), mas ser magra e não ter nadica de nada fora do lugar com 40? Ah, fia, me poupe! Vai ser normal, vai!

Lu, mãe do Bruno disse...

Taís, essa erotização atinge muito mais as meninas, não é? Percebo isso pela minha sobrinha que passa batom a cada minuto. Tenho um menino e acho mais fácil criá-lo porque essa oferta de produtos para mini-mocinhos, parece menor. Tbm não me sinto obrigada a comprar roupas demais, nem roupas caras. Acho que a competição entre as menininhas (ou entre a mães) pelo vestido mais bonito da festa é muito maior. Menino pode ficar mais à vontade que ninguém repara.
Continue esse assunto, tá?
Bjoca.

Carolina Pombo disse...

Thaís, é de reflexões assim que nós, pais, estamos precisando! Vou linkar o seu texto no meu blog e envia-lo para gente que vive os mesmos conflitos.

Beijos

Paloma disse...

Concordo em gênero, número e grau...bjo
Paloma e Isa

Vanessa disse...

Taís, fico muito feliz, no meio disso tudo, em ver que não sou a única maluca a lutar por uma infância saudável para meu filho. Parabéns pelo texto, inspirador.

Abraço !!!

Lia disse...

Oi, Tais,
Parabens pelo post e pelo blog. Nao sei como nao tinha passado por aqui antes...

Renata Rainho disse...

é Taís ainda bem que não sou só eu que sou contra crianças maquiadas...

Tais disse...

Oi Lu, não acho que é só nas meninas. Claro que com elas é mais fácil ver, mas os meninos são super expostos ao físico, barriga de tanquinho, músculos, moda. Outro dia, assisti ao Super Homem antigo com meus filhos, Cristopher Reeves, lembra? Pois eles comentaram: 'Mãe, este super homem não tem músculo?" Daí que me liguei na diferença dos heróis de hoje e os de ontem. Bjs!

Tais disse...

Carolina, Vanessa, Paloma e Lia - obrigada pelos linques e pelo carinho! Nós mães precisamos mesmo nos unir para ganhar força. Às vezes me sinto meio sozinha em meio a gente tão alheia. Vcs não se sentem assim?

Silvia, concordo. A Hegli tocou num ponto polêmico, difícil mais importante. Mas acho que pedófilo gosta de criança de qualquer jeito, inclusive de batom e saltinho. Cruz credo!

E vc tocou num outro ponto que eu tinha me esquecido. Que mensagem nós adultos damos quando demonstramos pânico de engordar, de ficar fora de forma, envelhecer. A criançada acaba aprendendo, certo? Quais valores passamos com estas atitudes tão comuns hoje em dia?

Sabe o que mais me chama atenção? É que o corpo hoje em dia é massificado. Todos os homens tem barriga de tanquinho e gominhos nos braços. Todos usam sungão. E as mulheres todas tem coxão, bunda redondinha, peitão. Não vemos mais corpos diferentes sendo expostos. Globalizaram o corpo humano! Help!!!!!!!!!!

Tais disse...

Oi Renata,

Nada contra maquiagem. Qdo. é para brincar. Jogo simbólico. Mas tá cheio de menininha que só sai de casa de perfume e batom. Daí é f.... Que auto estima tem essa criatura que precisa de maquiagem pra sair, aos 8 anos?

Bjs!

Paula ZZT disse...

Tavi, se vc for mais antigamente ainda, naquele seriado do Batman e em alguns Tarzãs, ele inclusive tinham uma barriguinha, hahaha. D+ de ótimo.
"Às vezes me sinto meio sozinha em meio a gente tão alheia. Vcs não se sentem assim?"

Nossa, eu nem sou tão engajada como você e tenho me sentido tão sozinha... Às vezes dói... Um pq me sinto estranha nos meios mais alternativos, pq ainda não sou (e em alguns casos nem sei se quero ser) e nos meios "tradicionais" me sinto um peixe fora d'água, me policiando para não fazer um série de comentários... Sabe, sou a mãe contra apostila, sou a mãe que não aceita a pandemia da gripe "porquina"... Sinto falta de ter amigas com quem eu possa falar sem ser julgada mesmo... Sinto falta de ter gente que me ajude dessa minha mudança e que eu possa ajudar tb, e não que simplesmente achem um absurdo eu ser questionadora e me taxem de irresponsável... Enfim, ainda bem que posso vir sempre ao seu blog...
(Super parenteses Ah, vc sabe alguém que entenda d+ de plantas em apartamento rsrs. Comecei com os vasinhos, tenho hortelã, alecrim e 7 ervas (que comprei pq achei linda a mistura) e quero cuidar bem... No momento só coloca água... Queria saber de adubos legais, sem serem tóxicos para colocar... Será que posso colocar cascas de frutas diretamente? Ai, nem espero que vc responda, rsrs, mas é só para vc ter noção das minhas dúvidas... hahahahaha)
Sobre pedofilia, eu não sei se as meninas se vestirem de adulta estimula ou não, talvez um tipo específico de pedófilo, pq tem os que gostam exatamente por ser criança, com aparencia de criança... E muitos param de abusar de meninas que entram na adolescencia e começam a menstruar por exemplo... Nem sei o que pensar disso... Coisa lamentável...

Bjoks minha querida!
Paula

Paula ZZT disse...

Comentando o da Silvia, outra das que me inspira d+ nesse meio mães-que-conversam-virtualmente "E o pior é que a gente fica meio arrasada de não ser linda daquele jeito também."

Sil, eu acho que normal, até quem tem corpão acorda achando que podia ser melhor, ou que inveja da super inteligencia de outra mulher... MAs a gente tem que perceber isso logo e colocar o pensamento de lado né? Eu percebi que ler revistas como Boa Forma, Nova, Women's Health (que de saúde fala pouco, fala mais da parte estética) é mais uma forma de minar nossa auto-estima... Por isso que agora só assino a Vida Simples, rsrsrs. E compro a Claudia quando alguma capa me empolga muito (mas normalmente as matérias são menos do que eu esperava)... Ou seja, no fim, não temos que ficar esperando que o mundo mude e pare de expor tudo isso para a gente se sentir melhor, ou menos pior, rsrsrs, mas é se sentir bem como está, mudar o que precisa de verdade, e saber que isso sim pode ajudar a mudar o mundo...

Ai, na teoria é lindo né? hahaha. Estou tentando praticar... Bjoks
Paula

Silvia disse...

Paula, quem eu sei que tem muitos vasinhos em apartamento e talvez possa te ajudar é a Denise Rangel, do Sturm und Drang (http://drang.com.br/blog/), e a Carol Costa, do Guindaste (http://www.interney.net/blogs/guindaste/). Quanto aos restos de comida para adubo, a Recicloteca (http://www.recicloteca.org.br/Default.asp) tem bastante informação.

Espero que ajude. :-)

Paula ZZT disse...

aimeudeus, gente momento babação de ovo, mas é por essas e outras que a Silvia, assim como a TaVi, é uma das minhas inspirações :-).
Valeu, Silvia. Vou olhar tudo com carinho e calma...

Hegli disse...

Pois é, devo ter me expressado mal... pode não ser um pedófilo o “ser” que eu citei, mas sim o tipo de cara safado e sem noção que adora ver uma menininha de legging, top, saltinho e batom.
Aqueles que passam a mão sem querer querendo para fazer um “carinho” e dizer como o “bumbum” é lindo, como a coxa é grossa, ou que boca gostosa desse tamanho, que vai arrumar um namorado...
São tios, primos, pais, vizinhos e desconhecidos que se encantam com menininhas fantasiadas de lady gaga para fantasiar nas suas cabeças doentes. Sei de casos próximos e todas as meninas eram vulgarmente vestidas e maquiadas. Pode não ser o pedófilo, mas é assédio... e acontece muuuuuito.

Tais disse...

Hegli, eu não entendo nadica de nada de pedofilia, mas pra mim, quem passa a mão sem querer querendo nas coxas de uma criança ou não consegue controlar um comentário diante de um lábio de menina com batom, tem problema. Ô se tem. E assédio em criança, não é pedofilia? Sei não...eta mulher pra polemizar!

Bjs!

Tais disse...

Paula Darling, acho que a Silvia te ajudou e muito bem com os vasinhos. Aliás, ajudou a mim pq os meus tb tão só na base da água e da fé.

Revista feminina ultimamente anda de doer. Ou tem corpos 100% fotoxope, ou tem menininhas de 12 a 17 anos posando de mulher adulta. Entonces, não sobra pra ninguém. E estas de boa forma então, Deus me livre. É pra acabar com a auto estima de qualquer um, pois se o que elas pregam desse certo, não teria mais ninguém precisando comprar, concorda?

Mas que hj em dia é duro envelhecer, é. Ver ruguinhas aparecendo, parece que estamos nos acabando. Taí outra coisa que precisamos atacar...o direito de ter pés de galinha e bunda caída (levemente). hahahahaha. E ser chamada de "senhora", então? Jesus, chama de "pisiti" que é mais fácil de ouvir.

E quanto a ser mãe questionadora, vc não concorda que a internet veio nos situar (ou deslocar de vez, depende do ponto de vista!). Antes eu me achava chata, neura e pão dura. Agora só me acho chata e meio neura. O aprendizado do que é consciência tirou 50% do peso. Tenho que trabalhar pra remover o que falta.

Adoro suas colocações, garota! Acompanhar seus questionamentos e suas transformações é um privilégio.

Bjs!

Hegli disse...

Então Taís, é que se abriu um leque de opções para pedófilos aqui, rs. Os que gostam de criancinhas, vestidas de criancinhas e tal... mas eu estava falando desses SAFADOS que nao se controlam em ver uma menininha vista de mulher e gerou-se a polêmica.
Sabe que ando meio confusa mesmo, to naquele período do mês que dá TILT cerebral... mas no final, acho que todo mundo entendeu todo mundo, rs. Assim espero!
Bjim

Paula ZZT disse...

Hegli, polêmica é bom :-) E as polêmicas que vejo especialmente aqui no blog da TaVi são do bem, as que realmente fazem a gente pensar, ver tudo por outros ângulos... Não daquelas que descambam para ofensas...
Independente do rótulo que dermos a esses seres problemáticos, é realmente ridiculo. E indepentende de a maquiagem estimular isso ou não, tb acho que é o uó a criançada já ser mini projeto de jovem...
Eu adoro essas conversas dos comentários... Como já disse outras vezes, como a distância nem sempre nos permite sentar e conversar tète-a-tète, esse espaço cumpre essa função né?
Bjoks a todas.
E se não nos "vermos" mais, ótima páscoa.

GiGi disse...

Excelente post e acho fantástica a observação de Benjamim Barber. É exatamente o que tem ocorrido ultimamente.

Sobre o vídeo de Lady Gaga, sou da opinião de que cada um faz o que quiser com o filho que tem, desde que arque com as consequências depois. É bem isso, "toma que o filho é teu". Depois não adianta chorar as pitangas...

Beijos!