Contos de fodas


Branca de Neve tinha um toc tão profundo, pobrezinha, que logo depois de sofrer uma tentativa de assassinato, a primeira coisa que faz é uma faxina. Pra piorar, depois de envenenada, arruma um príncipe necrófilo porque só isso explica essa tara por beijar defuntas desconhecidas que surgem no seu caminho.

Cinderela sofria abuso da madrasta, depois arruma uma fada madrinha sádica que a faz usar sapatos de vidro e a obriga a voltar pra casa à meia-noite, quando o baile estava começando a ficar bom. E, como desgraça pouca é bobagem, na balada do sapato de vidro, pega um playboyzinho que jura que se apaixonou mas no dia seguinte sequer se lembra como é o rosto dela.

Ariel deixou de ser quem é e abandona os seus pra agradar macho. Fim da história.

Rapunzel sofre abuso não só da bruxa, mas também do príncipe, porque o safado sabe que ela é prisioneira na torre mas, ao invés de ajudá-la a fugir, sobe lá, furunfa e vaza. Cretino.

O pai da Bela faz merda e pra se livrar entrega a filha pra um abusador, pelo qual ela se apaixona a ponto de achá-lo uma pessoa maravilhosa, apesar dele ser do tipo que aceita mocinhas como moeda de troca e as aprisiona em seu castelo.

A Bela Adormecida chapou e desmaiou. Daí vem um sujeito e vrau na moça desacordada. Alguns o chamam de príncipe encantado. Eu o chamo de aluno de medicina em festa open bar.

Aí tem a Anna e Elsa, de Frozen. E isso aí é uma bruta esculhambação, é o cão acabando com o sonho das princesas cor-de-rosa de encontrarem seu príncipe azul encantado e nós vamos dar jeito nisso daí, nem que seja do alto da goiabeira, taoquei?


Comentários

Sensacional essa leitura Taís!