11.3.14

Miley Cirus, coma feijão.



Miley Cirus, coma feijão.

Família reunida em volta da mesa para o almoço de domingo. A pequena, de sete anos, começa a cantarolar uma música enquanto se move sensualmente na cadeira e lambe a colher de um jeito suspeito.

Um segundo de constrangimento e a mãe entra em cena do jeito mais natural que consegue: 

"Filha, que é isso?" 

O primo, da mesma idade, responde por ela: 

"Tá imitando aquela cantora que canta PELADA aquela música da bola." 

"Ãhn?! Que música, que bola?" 

As crianças descem da mesa e voltam correndo com um tablet. 

"Olha, mãe, o vídeo da Miley Cirus...tá vendo..." 

A família se reveza para assistir ao clipe que mostra a ex-personagem da Disney, Hanna Montana, balançando nua numa bola de demolição enquanto lambe um martelo de forma bem sugestiva.

Tentando se recompor do susto por "aquilo" estar no tablet dos titicos, a cunhada comenta: 

"Nossa, mas por que ela lambe o martelo?" 

É a deixa para a mãe tentar recuperar o controle da situação.

"Por que ela tem uma doença que faz com que ela lamba tudo quanto é coisa de ferro que ela vê pela frente." 

O sobrinho revira os olhos e bufa, "Ai, que mentira!"

"Verdade! É uma doença muito grave chamada...", ela pausa para pensar. 

A cunhada vem socorrê-la, "Anemia. Essa doença se chama a-ne-mi-a".

"Isso, anemia! É uma judiação. Ela tem tanta falta de ferro no corpo, que lambe tudo que é de metal. É uma compulsão. Ela já teve muito problema por causa dessa doença...outro dia li que ela lambeu o postinho do metrô e teve diarréia. Imagina! Aquele poste todo mundo põe a mão, é imundo! A diarréia foi tão forte que ela teve que cancelar show."

A menina olha desconfiada, "Mãe, você tá falando verdade?". 

"Claro que estou! Essa moça devia se tratar. Agora, vamos comer feijão. Bastante feijão, porque um feijãozinho feito na panela de ferro é ótimo pra anemia!"

"Isso, mas é para comer o feijão e não lamber a panela, viu! Ouvi falar que a Miley Cirus fez isso num restaurante e queimou a língua. Teve que sair de ambulância e ficou um mês sem cantar", conclui a cunhada.

"Nossa, coitadinha!"

"Coitadinha, mesmo. Esse negócio de anemia não é brincadeira. Passa seu prato, anjinho...e dá aqui o tablet pra mamãe guardar".