10.9.12

Salvem os meninos.




Salvem os meninos.

Concordo que os contos de fada tinham que mudar. Não cabe mais no mundo moderno uma menina ser condenada a ficar no porão limpando cinzas enquanto espera o príncipe encantado aparecer com um sapatinho de cristal para salvá-la. Ou aquela outra que ronca 100 anos enquanto o seu moço não vem. Ou a que foi expulsa da casa do pai, sofre uma tentativa de assassinato, se perde na floresta e quando acha abrigo na casa de 7 homenzinhos, a primeira coisa que faz é uma bela faxina.

Tá certo, certíssimo, as coisas tinham mesmo que evoluir.

Mas, como mãe de menino, registro aqui o meu protesto pelo rumo que as coisas estão tomando: estão detonando com os príncipes!

No Shrek ele virou um boçal, mais preocupado com o cabelo do que com a princesa. Com isso ela acaba trocando-o por um ogro que solta pum e arrota em público. Não consigo imaginar nada mais romântico.

No Enroladas, ele virou um ladrãozinho, com um senso bem dúbio do que é certo ou errado. Príncipe que não conhece o lado do bem é como fada que não sabe fazer magia.

No Encantada ele é um tonto. Tão tonto que as meninas todas torcem pra que a princesa fique com o "outro". Que também é meio tonto, mas é mais gostosão. A mulheradinha anda esperta.

Na Barbie Mosqueteiras a coisa fica ainda mais vexaminosa. Princesas de maquiagem, vestido rosa e salto alto empunham espadas e…protegem o príncipe! Pode? Tem cabimento tamanha humilhação?

No último episódio desta conspiração anti-pelos no peito e músculos, a princesa do Valente, linda com seus cachos vermelhos e iluminados, é apresentada a três pretendentes tão sem graça, bobos e sem talento que achei que ela acabaria ficando com o urso malvado, que devia ter um bafo péssimo, mas parecia ser um partido bem melhor do que qualquer um daqueles três.

Do jeito que a coisa anda, daqui a pouco teremos contos de fadas sem príncipe. Para que colocar na história um estrupício desses, que só serve para, para…para que mesmo serve um príncipe? Bastam as princesas, lindas, cheirosas, espertas, inteligentes, corajosas, guerreiras, com cabelos impecáveis e axilias que nunca transpiram. Afinal de contas, se antes o que elas mais queriam era o amor e o castelo, nem sempre nesta ordem, hoje elas só precisam de uma carreira, uma boa babá, uma manicure e um vibrador. 

Se eu fosse príncipe, faria greve. Dedicaria todo meu amor ao cavalo branco. Que é fiel, está sempre ao lado deles e, melhor de tudo, é mudo. 

Escritores, roteiristas e contadores de história, escutem esse apelo de mãe: salvem os príncipes! Um reino governado só por estrógeno nem bruxa malvada aguenta. Coloquem umas pitadas de testosterona no roteiro e vamos equilibrar essa parada. 

Ou, logo, logo, coloco a depilação e da chapinha dos meus meninos na conta dos estúdios Disney.


.

17 comentários:

Debora Regina disse...

Putz, grande sacada, Tais. Pohan, cade o conteúdo desses príncipes? Não dava para ter uns príncipes interessantes, que não fossem boçais, mas com intelecto, sacada, que fossem parceiros da princesa... Não precisa ter casamento no final, mas pô, tá muita esculhambação mesmo.

Adriana PSV disse...

Ó-TE-MO! apoiadíssimo, meu príncipezinho está virando um ogro! Só fala em soltar pum e arrotar! Afinal os ogros ganham as gatinhas, ou melhor: quando crescer quero ser BANDIDO! Quando perguntei o motivo, a resposta veio rápida e certeira: Eles são mais bonitos, tem carros bacanas, as melhores armas ficam com eles e sempre pegam as mocinhas! Ai,ai, dureza!
Adorei o post, beijos Dri

Pérola disse...

Taís,
Sabe o que eu acho? Que o Sr. Walt Disney deturpou tudo...Sim, em nome do capital que gira o (disney) world.
Os contos, originalmente, são na maioria dos irmãos Grimm e tem um profundo tocante no imaginário e na vida das crianças quando fazem parte de um contexto com ritmo e dinâmicas de contação de histórias. São importantes para as crianças e até curativos. Leio Branca de Neve original para meus filhos. A visão sexista e deturpada pelo capitalismo veio depois, inclusive para angariar com as "princesas" versão cool e fodásticas. Não vejo ganho nem para meninos, nem para meninas a longo prazo. Vejo perda de tradição oral e de cultivo de momentos junto aos filhos. Aqui temos tentado resgatar isso...
Beijo querida! Adoro teus escritos!

Josiane Caetano disse...

Não fique chateada com a "aposentadoria" dos príncipes: sempre restarão os super-herois, que ainda são, em sua grande maioria, homens...

Gabis Miranda disse...

Ahahhahahahaha Sensacional! Já basta descobrirmos que eles, os príncipes, não existem né?!
Adorei o texto! Tb sou mãe de menino e o educo pra se tornar um verdadeiro príncipe. Rs

Gabis Miranda disse...

Ahahahaha Sensavional! Já basta descobrirmos que eles, os príncipes, não existem. Né?! Também sou mãe de menino e concordo com o que disse. Até pq nós educamos nossos meninos para se tornarem verdadeiros príncipes. Adorei o texto!!!
Gabi
Bossa Mãe

márcia disse...

muito bom. eu sempre fiquei inconformada com a versão Disney da Bela Adormecida, porque o príncipe é um tremendo banana, ele só consegue salvá-la por conta das três fadas madrinhas, chato, chato. aliás, nem onome dos príncipes são pronunciados, veja só!
na minha opinião, quem tem mesmo personalidade nesses desenhos todos são sempre as bruxas.

beijos

Anônimo disse...

Concordo plenamente! E não é só nos desenhos não! Já reparou nas propagandas? Nas novelas? Cada vez mais os homens são mostrados como burros, estúpidos, lerdos, bobos, etc... São os fáceis de enganar, de passar prá trás, de manipular... Antigamente havia o machismo onde as mulheres eram exploradas, tratadas com desdém, sem opinião nem direitos. Estamos caminhando para o sentido inverso, onde o feminismo impera! Só as mulheres fazem e acontecem! Não é possível haver um equilíbrio, onde homens e mulheres sejam tratados com respeito, apesar das diferenças?

Anônimo disse...

Concordo plenamente! E não é só nos desenhos não! Já reparou nas novelas e propagandas? O homem é sempre aquele fácil de enganar, de manipular, passar prá trás... São os que sempre levam fora das mulheres, são preteridos em tudo, são os bobos, estúpidos, burros, lerdos, desajeitados... Sempre comento com meu marido, que tipo de opinião a mídia está querendo formar? As mulheres que mandam? Esse será o século do feminismo? Onde os homens serão "bulinizados" por todas as coisas que fizeram no passado? Queremos uma geração de homens "frouxos" e "bandidos"? É essa a mensagem que queremos passar para nossos filhos? Não pode haver um equilíbrio, onde homens e mulheres se respeitem, apesar das diferenças?

Ana Paula disse...

Putz.. que dó dos príncipes!Sensacional seu texto. Vou compartilhar lá na fan page do Baú da Alice, quem sabe mais gente se sensibiliza com a situação, heheheh. Um beijo,

Monica disse...

Gostei muito do seu texto, mas sabe o que eu acho?
Isso, em parte, eh culpa de muitas mães de meninos que educam seus filhos como se fossem de porcelana... Hoje em dia basta uma volta no parquinho pra ver as mães de meninos ultraprotegendo os seus filhotes... Assim as meninas acabam ficando mais fortes mesmo, estilo valente...

Eliane Martinez disse...

Visão Machista. Tanto tempo querendo colocar que a mulher pode ser tão boa e independente quanto o homem e esta senhora fala estas bobagens?! Eu entendo assim, Shrek é a aparência versus o conteúdo,pois o cara é feio mas faz a Fiona feliz. No Enrolados o ladrãozinho conhece a redenção no amor da Rapunzel, ele pode ser bad boy,mas quantos quando conhecem uma moça e a amam viram exemplos.Eu mesma conheço um!No Encantada é o príncipe de contos de fada versus o homem real, podemos até torcer para o real,mas ele já é comprometido.Então indisponível. Na Barbie, qual é o problema de nós mulheres fortes e independentes protegermos o nosso príncipe? As mulheres não estão pleiteando lugares nas Forças armadas? Não podemos ser as coitadinhas de chinelos que se não falrmos com o marido/namorado não podemos dar um passo.e finalmente no filme Valente, a mensagem é antes só do mal acompanhada. Não podemos nos unir simplesmente por conveniência. Pelo social.Vi todos estes filmes e essa é a minha visão! Sabe aquela máxima que falam, que os homens são machistas pois são criados por mulheres machistas?! Esse é o exemplo fidedigno!

ERIKA disse...

PURA VERDADE,EU SOU PROFESSORA E HOJE O QUE VEMOS EM SALA DE AULA É MUITO DIFERENTE DO QUE EU PERCEBIA HÁ 18 ANOS, OS MENINOS SÃO MUITO MAIS EDUCADOS, CALMOS, AS MENINAS ESTÃO EXAGERADAMENTE REBELDES E COM A SEXUALIDADE ALTAMENTE ESTIMULADA, ANTIGAMENTE QUANDO NO INÍCIO DO ANO PERCEBÍAMOS QUE NA LISTA DE CHAMADA HAVIA MAIS MENINIAS DO QUE MENINOS FICÁVAMOS CONTENTES, POIS ACHÁVAMOS QUE O ANO SERIA TRANQUILO, HOJE REZAMOS PARA QUE EXISTISSE UMA SALA SÓ DE MENINOS, CLARO COM ALGUMAS EXCEÇÕES,POIS OS MENINOS CONTINUAM MENINOS E AS MENINAS ESTÃO PULANDO DA INFÂNCIA PARA A IDADE ADULTA SEM MATURIDADE EMOCIONAL!!!

Hegli disse...

Poxa Taís, que sacada! rs
Como mãe de menino compartilho desse seu sentimento. TOTAL!
Bjus querida

Maria Tereza disse...

Talvez seja pelo fato dos homens da nossa geração ainda serem adolescentes que se vestem como seus filhos. Vc leu na Folha Ilustrada, a coluna do Coutinho de quarta?
Fala exatamente deste assunto.
Como mãe de menino, quero fazer de tudo para que ele não fique aquele adolescente de 40 anos, vestindo tênis de satisfatório e boné para trás.
Muito bom o texto,

Ana Júlia disse...

Hoje assistimos ao enaltecimento do homem-bundão e do pai-bundão.
Vide os Simpsons, Família Dinossauro, "Todo Mundo Odeia o Chris", e outros. Que dizer então do Max, Tufão, Leleco, Adalto e Silas, de Avenida Brasil? E o príncipe de "Espelho, Espelho Meu", que é salvo pela Branca de Neve? Um cara indeciso e trapalhão!

Os papéis sociais estão se diluindo, e com eles, a figura do príncipe destemido, do cavaleiro honrado e do pai firme tornam-se ambíguas e incontornáveis.

God save the boys!

Anônimo disse...

Olha, concordo com o seu texto!

Mas acho que nenhum desses desenhos são criados realmente para as crianças, ou pensando nas crianças, mas é fato que as atinge.

O que acho q vai além da sua observação é que embora desenhos possam sim influenciar na educação ou comportamento da criança (tudo o que ela vê pode sim, mexer com a cabecinha dela), acho que a maior influência no comportamento está na família.

Então não convém, questionar apenas como o papel do homem, do príncipe, dos roteiristas, da disney, que está sendo banalizado, mas sim questionar a educação que está sendo dada a nova geração de meninos e meninas!

Convenhamos, hoje muitas mães precisam deixar seus filhos tempo integral na escolinha pq precisam trabalhar, mas nem todas entendem que não é a escola que disciplina, que educa, que impõe limites. Nem todos os pais consegue estar presentes no tempo em que passam com seus filhos.

Sim nós vivemos em épocas difíceis, mas se não questionarmos onde realmente está o erro e ir a fundo, pior ficará.

Me preocupo em educar meu filho como um príncipe (não um desses, mas alguém educado, respeitoso, etc e tal), e ele se transformar em um bundão e eu me transformar na sogra carrasca!! tenso!

Como encontrar um equilíbrio para os nossos meninos?