21.10.11

"Mãe, você é uma vadia!"




"Mãe, você é uma vadia!"

O pequeno entra na cozinha zangado: “Mãe! Você desligou meu Wii. Eu vou ter que fazer toda aquela fase de novo...SUA VADIA!”

A mãe recebe as palavras como uma bofetada. Pisca. E na velocidade daquela piscada, tenta controlar toda a mágoa que a impele a quebrar os dentes de leite que ainda restam na boca daquele ser raivoso de um metro e vinte.  

Respira fundo e quando reabre os olhos diz com toda a calma que lhe resta:

“Você sabe o que esta palavra significa?”

O menino olha para o chão envergonhado e responde baixinho: “Não.”

“É uma palavra muito ofensiva e estou me sentindo mal por você ter me chamado assim. Você não devia tratar as pessoas deste jeito.”

“Desculpa.”

“Vadia é uma mulher que transa com muitos homens. Eu sou uma vadia?”

Mais encabulado ainda, o menino murmura: “Não!”

“Pois é...então não chame mais as pessoas de nomes ofensivos. Ainda mais se você não sabe o que significam. Você pode estar dizendo coisas que as deixam muito, muito magoadas e com raiva. Você ficou bravo por causa do videogame mas podia ter conversado comigo de outro jeito.“

“Eu sei...desculpa”

A conversa se desenvolve mais um pouco e logo cada um parte para um lado.

Mais tarde, ela reflete sobre o ocorrido. Como toda mãe que se preza, o pensamento se enche de culpa e de dúvidas.

'Será que agi certo? Explicar que vadia é mulher que transa muito?! Onde eu estava com a cabeça...vadia também pode ser alguém que não gosta de trabalhar...ah, pera aí também não precisa ser tão inocente...

Que mundo é esse que um pequeno não sabe o que é vadia, mas entende perfeitamente o que é transar com um monte de homens?

Além do mais, e daí se uma mulher transa com um monte de homens...nem por isso pode ser chamada de vadia. Aliás, sorte dela! Não...não posso dizer isso para um garoto de 8 anos. 
Ah, mas espera ele fazer 16. Talvez 14. Ou 25...vai saber.

Ô minha mãezinha...no tempo em que piranha era peixe e tijolada na boca era corretivo, era bem mais fácil. Mundinho complicado esse que fui ser mãe!'

Um barulhinho repetitivo a tira do devaneio. 

"Vou ter que falar quantas vezes que é pra sair do videogame?! Quer que eu mesma desligue?"