30.6.10

Você não é incompetente. Você é mãe.









Quatro amigas blogueiras e eu resolvemos nos reunir num sonho meio quixotesco. Valorizar a maternidade.

Começamos com a publicação de um Manifesto pelas Mães, que reune tudo o pensamos e também o que aprendemos nestes anos de muita troca com as mães incríveis que frequentam a blogosfera.

Acreditamos que estamos diante de um novo momento. De uma nova geração de mulheres, mais feministas do que nunca, mais cientes do que jamais foram de seu papel e do seu enorme valor.

O Manifesto é apenas um começo de um trabalho que pretendemos desenvolver de reconhecimento da importância da mãe e da família para a construção de uma sociedade mais justa, mais humana, mais responsável.

Ele foi redigido com o cuidado intenso de valorizar a maternidade nos seus diferentes formatos. Nenhum é melhor que o outro. Todas somos mães, fazemos o nosso melhor e queremos ser valorizadas!

Essas imagens são parte da campanha de lançamento do Manifesto pelas Mães. Clique sobre elas para ampliá-las.

Clique aqui se quiser baixar ou assistir em slideshow.

Leia também: Consciência Materna, do blog O Futuro do Presente.

23.6.10

A professora me chamou.


Tenho um filho "bom". Todas nós temos. Mas o meu é muuuuito bom. Daí eu ter estranhado quando a professora dele me chamou pra uma conversa.

Fui meio ressabiada. O que meu filho meigo, responsável, inteligente e lindo de morrer poderia estar fazendo de errado?

A professora começou a reunião cautelosa. Nada mais natural quando se está diante de uma mãe palpiteira e metida a publicar na internet suas verdades sobre educação. Mas eu não estava ali como blogueira e sim como mãe. Achei melhor ficar quieta e ouvi-la.

E escutá-la não foi fácil. Meu filho bom, aparentemente, estava com problemas. E eu não estava percebendo.

Podia ter invertido o jogo. E faria isso facilmente. Botar a culpa nela, na escola, na preparação das aulas, no excesso de videogame e de açúcar na dieta infantil. Podia ter achado tudo um exagero.

Mas na minha frente estava uma pessoa genuinamente preocupada com meu pequeno. Apenas com ele. E não com a disciplina da sala. Nem com a performance da sua didática. O problema do meu filho era sutil e podia facilmente ser carregado na mochila para os anos seguintes. Mas ela teve olhos para enxergá-lo. E o cuidado de me chamar para que eu visse também.

Guardei a luva de box na bolsa e saí de lá comprometida a rever algumas coisas em casa. Ficar mais próxima, atenta. O básico. O feijão com arroz que, quando se é filho do meio, nem sempre se tem. Mas sempre se sente.

Hoje acho que a conversa com a professora foi uma das coisas mais significativas que me aconteceram no semestre. Não foi fácil. Mas foi necessária. Uma hora de conversa franca foi suficiente para estabelecer entre nós uma relação de confiança que durará para sempre.

Sou imensamente grata por ela ter me chamado.

18.6.10

A dieta do Papai do Céu para uma vida longa e feliz.


A dieta do Papai do Céu para uma vida longa e feliz.
Recebi uma matéria sobre o risco dos protetores solares. Agora estão redimindo o sol!

Calma, antes que você saia por aí botando a criançada para virar camarãozinho, leia a matéria e tire suas próprias conclusões. Sugiro até que discuta com um dermatologista da sua confiança.

Clique aqui para ler

Para quem não lê inglês, o resumo é que alguns protetores tem substâncias que penetram na pele, entram na corrente sanguínea e podem provocar alterações hormonais ou fazer com que um tumor se desenvolva mais rapidamente. Alguns dizem que os benefícios superam os riscos. Outros acham que o consumidor deveria ser informado para exercer seu direito de escolha.

A matéria conclui dizendo que é preciso haver cautela na exposição solar e, quem quer opções seguras, deve ficar na sombra, usar camisa de manga longa e chapéu.

Já redimiram a manteiga, o abacate, o café. O chocolate, vilão das espinhas, virou elixir da longa vida. O ovo, pobrezinho, já foi tão malhado que hoje as galinhas deveriam ser indenizadas. Agora é o astro rei que retorna soberano!

Percebi um padrão nisso tudo. As coisas que estão sendo redimidas, são as que a natureza fabricou. Portanto, daqui pra frente, vou virar adepta da Dieta do Papai do Céu: "foi o Papai do Céu que fez? Então come, meu filho. Come que não faz mal."

Papai do Céu não bota corante, não acrescenta benzoato, não usa gordura vegetal hidrogenada, sabores "idênticos" ao natural (alguém me explica esse truque pra não dizer artificial?), conservante INS sabe lá que número. Papai do Céu só usa embalagem sem bisfenol e que vira adubo em questão de dias. Produto do Papai do Céu não precisa de aprovação da Anvisa e há milhares de anos vem sendo testado em insetos, animais, humanos.

Papai do Céu me botou nesse mundo pra vivê-lo e não pra ter medo dele.

Daqui pra frente, não quero saber do que não posso. Eu posso tudo. E quando alguém me disser que alguma coisa faz mal, vou perguntar se quem falou foi o Papai do Céu ou a Seleções do Reader's Digest.

Na dúvida, fico com Ele.