16.2.09

O consumo, a aposentadoria e a crise.


Quando a marolinha da crise chegou ao Brasil, o presidente foi enfático: "Consumam". Era hora de gastar as economias e não ter medo do futuro.

Poucos meses depois, este mesmo governo - que quer que gastemos sem temer o dia de amanhã - reajusta a aposentadoria em quase a metade do valor do reajuste do salário mínimo.

Agora eu pergunto: como não temer o amanhã, se com o dinheiro da aposentadoria mal dá para pagar o plano de saúde, comer e morar? Se hoje eu sair por aí realizando todos os meus "sonhos" de consumo para ajudar o Brasil a sair da crise e os especuladores financeiros a reabastecerem suas adegas climatizadas, quando me aposentar, quem vai me ajudar a pagar a tv a cabo da minha TV LCD? Ou estarei condenada a passar a velhice assistindo Zorra Total em 50 polegadas? Qual medida econômica vai garantir carne para o meu freezer frost free de inox? Vai sobrar algum para encher o tanque e tirar o carro da garagem?

Pois é, presidente...o amanhã é sombrio. E justamente para não temê-lo, que vou guardar bem guardadinha uma parte do meu dinheiro e me acostumar desde já a viver com menos. Assim, quando a minguada aposentadoria chegar, terei minhas economias e poderei continuar consumindo. Pouco. Mas o suficiente para ter o mínimo de dignidade e prazer que qualquer ser humano tem direito. Seja ele aposentado, trabalhador, governante ou especulador.

4 comentários:

Silvia disse...

Nada a declarar. Fantástico.

Queria que as pessoas que estão no poder lessem textos assim e, como num passe de mágica, sentissem pesar a consciência e agissem feito gente que se preocupa com a gente.

madrinha disse...

Ótima foto, Taís!
Sempre bom ler sua visão simples e ao mesmo tempo criativa sobre nossa vidinha.

Grande beijo em você e no Lucca
Simone Cunha

acqua disse...

Hahahahahaha
Confesso que vim aqui apenas para ler mais um post sobre o dignissímo presidente, que aliás, se especializou em comentários desnecessários. Enfim, seu post está perfeito.
Abraços meus

Abraão disse...

Olha, prefiro não depender do governo para minha velhice, porque ele não quer nem saber de você.

***Quem se aposenta é isento :P***